fbpx

O Racismo ainda é predominante no Brasil?

Incrível que em pleno século 21, onde difunde-se o empoderamento dos cachos e a beleza da raça negra, esta pergunta ainda causa duvidas e constrangimento em nossa população. Mas é conveniente perguntar:

 – O Brasil é um País que respeita os seus negros?

Recentemente uma notícia ganhou as redes sociais e causou grandes comentários porque a jornalista, até então do tempo, Maju Coutinho, assumiu a cadeira de âncora, no Jornal Nacional, um fato corriqueiro se a profissional não fosse negra.

Olhando por um ponto de vista racional, Maju Coutinho, estudou e formou-se em jornalismo, conseguiu por méritos próprios a vaga numa das mais respeitadas emissoras do Brasil, onde desempenha com êxito a sua profissão de formação. Sendo assim, nada mais justo do que receber o reconhecimento de seus contratantes e promove-la, certo?

Sim, deveria ser!  Não fosse este um acontecimento inédito na emissora e também no Brasil, onde sem sabermos por quais motivos, não existem âncoras negros nas bancadas do jornalismo televisivo. Busquem em arquivos do passado e pesquisem quantas emissoras prestigiaram profissionais negros em suas bancadas de jornalismo?  

Infelizmente situações como essa, repetem-se nos mais variados seguimentos profissionais do Brasil, como por exemplo cargos executivos na política, respondam sem pestanejar, quantos presidentes negros já ocuparam o cargo no Brasil? Quantos governadores de Estados?

E percebam que nesses casos quem decide é o povo e pelo voto direto e sendo o Brasil composto em sua maioria por uma população Afrodescendentes a situação torna-se ainda mais intrigante, vocês não acham?

Será que os afrodescendentes não confiam em seus representantes; ou os partidos políticos hesitam em promover candidatos negros a pleitear cargos executivos? Fica aí uma grande incógnita.

Mais surpreso ainda devemos ficar quando afirmamos que nos Estados Unidos da América, uma Nação que até recentemente não escondia o racismo, já elegeu pelo menos 5 presidentes considerados negros, sendo o último admirado até hoje, como um dos mais queridos líderes mundiais, exemplo de comportamento pela sua educação e respeito ao povo que o elegeu. Sim, estou falando de Barack Obama, certamente um negro de corpo e alma, admirado mundialmente pela sua postura e educação. Não seria ele, motivação para repensarmos nossas escolhas?

A importância do ser humano, não pode e não deve ser pesada pela sua cor, pelo seu credo e principalmente pela sua posição social. Todos temos o nosso peso e o nosso valor e é por essa igualdade que devemos lutar.

Negros, Brancos, Vermelhos, ou Amarelos, certamente o que conta é a cor do sangue, e de todos são vermelhos, simbolizando a vida. Idiotice acreditar que a cor da pele interfere na postura, no caráter e nos desejos, sejam positivos ou negativos, o que difama ou enobrece o ser humano são as suas ações.

Recentemente fui alertado por uma profissional de mídia, que é muito raro observarmos peças publicitarias de esmaltes, com mãos de pele negra, salvando-se situações que os produtos são voltados diretamente para este público. Eu fiquei realmente surpreso e muito espantando quando ela me disse que as peças são recusadas pelos fabricantes, por acharem que a apresentação não fica bonita e alegre, como sugere uma campanha publicitária. Um absurdo!

Eu me recuso acreditar que ainda existam empresários que tenham esta visão, só pessoas de pele branca, poderão ou deverão usar seus produtos? Isso sugere que mais de 57% da população brasileira, não deve ser cliente dessas empresas. Gente isso é o cúmulo da falta de visão, com certeza isso é um suicídio profissional. Sugiro à esses empresários que repensem suas peças publicitarias, invés de não achar bonito, preocupe-se em mostrar que a beleza é para todas as etnias, e o que parece feio para você, poderá e será bonito para milhares.

Hoje no Universo da Beleza, tenho a alegria de conversar e ter como amigos profissionais renomados de várias etnias, que a custa de muito estudo e dedicação, tornaram-se referência e suas áreas de atuações. E alguns desses profissionais, estou falando de profissionais de peso, respeitados e formadores de opiniões, infelizmente ratificaram a falta de oportunidades em grandes eventos do setor, fato que me causou enorme tristeza.

Feiras de Beleza, são indiscutivelmente a maior oportunidade para exposições de ideias, produtos e serviços do seguimento, esses eventos acontecem anualmente nas maiores capitais do Brasil, provocando o encontro dos mais variados tipos de profissionais em busca de novidades e aprendizado. Feiras grandes como a Hair Brasil e Beauty Fair em São Paulo, preocupam-se bastante com a parte educacional, investindo muito em congressos, buscando profissionais de todo o mundo para enriquecerem esses congressos, trazendo novas técnicas e tendências.

Ações essas que apoiamos e aprovamos, afinal a educação é o melhor caminho para se atingir a excelência. Agora eu pergunto a vocês profissionais da Beleza, quantos desses congressos são destinados massivamente ao público Afrodescendente?

Infelizmente em mais de 15 anos de rodagem por este mercado da beleza, nossa equipe jamais registrou este tipo de Congresso, em Feiras de Grande Porte. Certamente, já registramos eventos secundários em algumas feiras, onde infelizmente o espaço cedido situavam-se em locais escondidos e com pouquíssima divulgação. Um ambiente triste e deprimente para um público numeroso e de forte poder de consumo.

O Brasil é de fato um País miscigenado, recebemos com amor pessoas das mais distintas raças e culturas; sabendo ainda, que mais da metade do Brasil é povoado por afrodescendentes, não seria justo valorizarmos esta etnia, que mesmo colocada a “margem da sociedade”, contribuíram e influenciaram diretamente na formação cultural do nosso País?

Toda mudança é complicada, principalmente quando falamos de costumes e posturas, mas tudo acontece quando damos o primeiro passo, “juntos somos mais fortes” já dizia o velho ditado.  A criatividade pode e deve ser compartilhada no intuito único de expulsar de nossos costumes qualquer possibilidade de sermos ainda, uma Nação Racista e Desumana.

“A Beleza é uma dádiva que independe de cor, raça e cultura, o que conta é o sorriso da alma e a pureza do caráter”.

Por Arnaldo Almeida – Redação Portal e TV Guia de Salões

Compartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *