fbpx

Operação Medusa fiscaliza alisantes capilares em SP

Ação foi realizada em 10 municípios de São Paulo, no mês de Setembro de 2019, para verificar irregularidades na fabricação, distribuição e comercialização de cosméticos para alisar cabelos.


Cerca de 40 fiscais da Anvisa e das Vigilâncias Sanitárias municipais e estadual de São Paulo realizaram a chamada Operação Medusa. A ação, ocorrida de 9 a 13/9, teve como objetivo apurar possíveis irregularidades na fabricação, distribuição e comercialização de produtos capilares destinados ao alisamento.

Ao todo, foram inspecionados 13 estabelecimentos — oito fabricantes, quatro distribuidoras e um comércio varejista. As fiscalizações ocorreram em 10 municípios de São Paulo: Bom Jesus dos Perdões, Bebedouro, São José do Rio Preto, Agudos, Jaú, Garça, Lençóis Paulista, Marília, Echaporã e Assis.

Entre os desvios mais frequentes está a adição de formol (formaldeído) nos cosméticos. Trata-se de uma irregularidade séria, que põe em risco a saúde de quem usa e de quem aplica o produto. O uso indevido dessa substância pode causar desde queimaduras, irritações e queda do cabelo até, em casos de exposição prolongada, câncer nas vias aéreas superiores (nariz, faringe, traqueia e brônquios).

Resultados da operação

  • 12 autos de infração sanitária lavrados.
  • Interdição de produtos e/ou linhas de fabricação de quatro estabelecimentos.
  • 17 produtos coletados para análise pelo Instituto Adolfo Lutz, em São Paulo; suspeita: uso irregular de formaldeído.
  • Três distribuidoras flagradas sem Autorização de Funcionamento de Empresa (AFE) e/ou licença sanitária.
  • Apreensão de documentos para análise pela Anvisa.

Fique por dentro

Todos os alisantes capilares, inclusive os importados, devem ser registrados na Anvisa. Alisantes sem registro estão em situação irregular e podem causar danos à córnea, queimaduras graves no couro cabeludo, quebra dos fios e queda dos cabelos.

Formol e glutaraldeído não devem ser utilizados como alisantes capilares. Quando usados indevidamente, eles acarretam sérios riscos à saúde da população. Adicionar formol em produtos para alisamento é infração sanitária e crime hediondo.

Não existem alisantes capilares destinados ao público infantil. Os produtos para alisamento capilar são indicados, exclusivamente, para adultos. O uso de alisantes em crianças é proibido.

Para saber mais, acesse:

http://portal.anvisa.gov.br/alisantes

http://portal.anvisa.gov.br/noticias/-/asset_publisher/FXrpx9qY7FbU/content/pesquisa-uso-irregular-de-formol-em-saloes-de-beleza/219201

Compartilhar