fbpx

Quem é Paulo Persil?

Quando falamos em beleza globalizamos todas as formas de elevar a estima das pessoas. Seja, cabelos, estética, unhas, maquiagem entre tantos serviços que proporcionam o bem estar do cliente e também do profissional.  Nosso entrevistado de hoje é muito querido e admirado pelo seu desempenho e principalmente pelo jeito carinhoso com o qual trata seus clientes e colegas de profissão. São mais de 20 anos exercendo com excelência suas funções e isto é tão verdadeiro que quando falamos que o entrevistado de hoje é também conhecido como o Mago das Noivas, imediatamente Paulo Persil é aclamado com aplausos e muita admiração. Com vocês o mestre Paulo Persil.

Gstv – Falar contigo sempre é um prazer por tudo que você representa neste Universo Maravilhoso chamado beleza. Então conta pra gente. Que é o Homem Paulo Persil?

Paulo Persil – Em primeiro lugar Arnaldo eu quero agradecer a você e toda sua equipe, por me dar esta oportunidade de contar um pouco da minha história para amigos do setor da beleza. Eu sou um “Cariocano”, nasci por acidente no Rio de Janeiro e fui criado no Pernambuco. O meu pai foi para o Rio de Janeiro, durante a criação da ponte Rio/Niteroi, ficou morando la por 3 anos e teve 2 filhos por la. Moro em São Paulo há quase 30 anos, eu tive que sair do Pernambuco por falta de emprego.

Gstv –  O que o Paulo Persil fazia antes de entrar para o cenário da Beleza?

Paulo Persil – Eu trabalhei a minha vida inteira, a partir dos meus 7 anos, sim eu sei que isto assusta, mas naquele momento que eu vivia era muito normal. Porque a gente nascia e ia pra roca que era ali do lado mesmo. Então a gente ia para o plantio de tomate, repolho, pepino, tudo que fosse ali da terra, então quando se chegava aos 10 ou 12 anos você já profissionaliza isso, porque a gente já sabia o que se plantava e colhia nas respectivas épocas. Trabalhei na roça até os 14 anos e depois fui trabalhar num supermercado, depois fui para área de lanchonete, trabalhando na chapa, fazendo lanches, onde fiquei por 10 anos.

Gstv –  Como foi a entrada do Paulo Persil, para o Setor da Beleza? E

Paulo Persil – Como eu te disse eu trabalhava muito e foi assim até meus 25 anos, quando descobri a profissão de cabeleireiro, e eu achava no meu intimo que eu era vagabundo, porque eu trabalhava, trabalhava e não gostava do que eu fazia, antes de ser cabeleireiro. Por que a partir do momento que você começa a trabalhar no que gosta você ganha dinheiro se divertido, isto é fato. Até os 20 anos eu morava numa favela, de verdade, e depois dos 20 anos comecei a ganhar mais dinheiro e tive condições de pagar uma faculdade. Mas veio a dúvida ou fazer a faculdade ou cuidar da família. Então, optei por cuidar da família, na realidade até os 25 anos eu de fato não sabia o que fazer da vida. Mas foi quando eu conheci um amigo, Marcos Fleming, um grande cabeleireiro e um grande nome dos penteados no Brasil, e num dia eu estava esperando ele terminar o serviço no salão e o vi penteando uma noiva, e neste penteado ele fez um “coque sorvete” eu quase chorei de emoção, porque não imaginava que uma loira fazia penteados, pra mim era so colocar branco. (Risos) Naquele momento fui aplacado pelo desejo de ser um cabeleireiro, ali encontrei minha profissão.

Gstv – Qual o peso da família na tua decisão? 

Paulo Persil – Deixa eu te falar, eu fui pai, avô, irmão muito cedo, como te falei minha mãe teve 7 sete filhos, e sofreu muito para cria-los, afinal meu pai faleceu com 36 anos de idade, fomos criados num berço Cristão, na Assembleia de Deus, então mesmo com todas as dificuldades os filhos que minha mãe criou nunca tiveram desvio de conduta, não há drogados, ladrões, nenhum deles agride ou agrediu as esposas, ou seja fomos de fato abençoados por Deus. Eu sou muito família, chego a dizer que sou muito “brejeiro” e uma das possibilidades que esta profissão me deu, foi dar uma melhor condição de vida para minha família. Então, o peso é importante inclusive numa de minhas viagens minha mãe fez um comentário muito interessante, ela disse: “filho o legal desta sua profissão é que se você tiver um pente e uma tesoura, em qualquer lugar, você não passa fome”.

Special Glow

Gstv –  Você quando iniciou na profissão imaginava que você não seria só mais um profissional e sim um protagonista?

Paulo Persil – Amigo, eu não sei qual é a sua religião, eu vem de um berço evangélico, e acreditamos muito que Deus fala conosco de muitas formas, Deus fala através das palavras de uma criança, através de um hino, através de uma música, e desde de criança eu fui agraciado com mensagens de que eu iria atravessar fronteiras e subir no palco, e eu dizia par Deus, eu não quero ser pastor Senhor (risos). Eu queria cantar mas minha voz horrorosa, destruía qualquer hino, e normalmente me colocavam para traz e pedia para eu ficar calado (risos). Eu cresci com promessas de Deus, então se eu te disser que não imaginava chegar onde eu cheguei eu estaria te mentindo. Quando eu entrei na profissão, já na primeira semana eu quis saber quem era os tops e o que eles faziam para eu fazer diferente. Foi ai que entrei no penteado, porque todos eles buscavam glamour tipo fashionweek e eu fazendo noivas e escutando que era muito cafona fazer noivas. Até me transformar no Mago das Noivas. Então sim, eu sempre acreditei que Deus tinha colocado em minha vida o propósito de ser Protagonista, do contrário eu diria que Deus estava mentindo, e isto é impossível.

Gstv – Como se deu suas habilidades com penteados?

Paulo Persil – Então é correto dizer que a pratica leva a perfeição, quando optei por trabalhar com noivas, cheguei a fazer 15 noivas por Sábado e acredite eu não levo mais que 5 minutos para fazer um penteado. Porque Deus me deu o dom e com este dom eu treinei, pratiquei, e desempenhei até 1 milhão de vezes, tentando atingir a perfeição. Por isso me tornei o Mago das Noivas.

Temprofissionais que fecham o salão para cuidar de 1 noiva. Eu rompi, eu criei um sistema de atendimento às noivas que quebrou essa barreira de atendimento especial, porque criavam-se uma ideia de que a noiva é especial sozinha, e isso não é verdade. A noiva é especial mas acompanhada com madrinhas, daminhas, etc.

Gstv – É correto afirmar que dentro de um salão você domina todos os setores?

Paulo Persil – Sim, tudo. Se quiserem me contratar eu faço tudo num salão, corto, faço coloração, alongamentos, alisamento, eu só não fiz progressiva. O mais interessante é que eu nunca fiz curso para penteados, eu me inspirei em alguns que eram tops, treinei, me inspirei até virar o criador dos meus penteados. Agora tive que fazer curso, de coloração, de cortes, etc. Porque eu achava e acho que para ter excelência nos penteados eu tinha a obrigação de conhecer as outras funções dentro da profissão.

Gstv – No seguimento, excluindo os penteados.  O que mais te seduz?

Paulo Persil – Hoje? Eu posso te dizer que a cada 5 anos eu entro num processo de transição, logico que jamais abandono o penteado, mas já tive a fase de empreendedor, empresário, vendedor e hoje o que mais me fascina é poder levar minha experiência de vida, transformar vidas ter uma agencia que cuida de carreiras. Exemplo você quer ser famoso, se você realmente quiser e tiver talento com certeza eu consigo através da minha experiência transformar sua vida. Eu sei dizer o que você precisa fazer para ter sucesso hoje em dia nas redes sociais.

Gstv – Falando de produtos. Qual a tua visão sobre os produtos de beleza Nacional?  E como você escolhe o produtos de beleza, correto para auxiliar nos teus trabalhos?

Paulo Persil – A melhor resposta é esta que a SIC Professional tem dado aqui, um produto, uma progressiva de alta tecnologia, preocupado com saúde do profissional. Falamos também, agora a pouco de tesouras; aliás um bom profissional não precisa de uma tesoura de 1 milhão de reais para fazer um bom trabalho, se ele for bom consegue com uma de 200 reais. Eu acho que nós melhoramos demais nesses últimos 20 anos. Eu cheguei neste mercado e não tinha nada, tudo era muito difícil, eu acompanhei o crescimento de várias empresas, representei marcas, trabalhando dentro das industrias. As empresas brasileiras se profissionalizaram, cresceram, desenvolveram e se existe crise é no País e não dentro das indústrias de cosméticos. Eu sou um defensor das industrias brasileiras, que foram atrás de matérias primas de qualidade e desenvolveram produtos excelentes e sem incentivo e nem apoio do governo. Nós somos o segundo do Mundo em consumo de cosméticos, será que estamos bem? Risos, é logico que estamos.

Garden cosmeticos

Gstv – Como o Paulo Persil encontra motivação para desenvolver novos trabalhos? Você estuda muito para manter sua técnica?

Paulo Persil – Uaaaaal! Esta foi a pergunta mais difícil que você me fez desde o início da entrevista! Risos. Olha temos várias fases na vida. Uma fase que a gente COPIA tudo aquilo que achamos bonito na profissão. Então a gente entre na profissão e a primeira cópia minha foi do Marcus Fenin, um baita profissional. E esta fase durou uns 6 meses, que foi o período que entendi que aquilo era fácil para mim. Então na sequencia veio a segunda fase, depois de muito treino e muita dedicação que foi a da CRIAÇÃO: quando eu já me senti apto a criar minhas próprias técnicas, eu criei a Trança Romana, criei o Top Grade, durante muito tempo eu publiquei estes trabalhos nas revistas fortes da época, até chegar ao ponto de 3 ou 4 anos, 8 em 10 noivas escolherem a Tranca Romana, para casar, ou seja foi o meu maior sucesso. E logo em seguida veio uma terceira fase que foi a de ESTABILZAR a marca criar um conceito. Estamos tendo agora uma invasão de cabelos russo. Para você ter uma ideia, existem centenas da profissionais dando cursos de penteados russos e nenhuma cliente usando. Te falo, tudo isso não para entrar em polemica, mas para dizer como o Paulo Persil cria? Observando as pessoas. Não me interessa como os profissionais pensam, o que a revista segmentada pensa, pra mim o que interessa é o que a noiva pensa, o que a madrinha pensa, como as famosas casam. EU fiz uma matéria para Revista Cabelos e Cia, onde me pediram para descrever nos últimos 2 anos quantas e como as famosas casaram, e veja que interessante 10 entre 10 famosas, incluindo Marina Rui Barbosa, casaram com cabelos soltos. E ai? Por isso me inspiro nas pessoas, perguntando pra elas o que elas imaginam e como criador usando as ideias eu faço.

Gstv – Em 25 anos você já fez algum penteado que você não gostou?

Paulo Persil – Sim, vários. (risos) Deixa eu te falar, nós vivemos num regime escravocrata. Quem paga manda. Nós escravizamos até 100 anos atrás. Então, graças a esses pensamentos, temos um sistema no Brasil, onde a cliente penteia junto com o cabeleireiro, é o cabeleireiro colocando a mão e a cliente também, e dando opinião tipo: aqui não está muito alto? E se puxar este fio não fica melhor? Eu chamo de penteado a 4 mãos, como ela paga a gente tem que aceitar. Fora do Brasil a cliente paga e fica quietinha e nos deixa trabalhar, mas aqui temos esta dinâmica, que não digo que é errada e nem certa, só estou comentando. E por causa disso já aconteceu de fazer um penteado que eu achei a mulher horrorosa (risos) , e eu cheguei  dizer para a pessoa “Só não diz que fui eu que fiz”, mas ela gostou. Afinal estamos aqui para servir, exemplo você tem um restaurante e alergia a camarão, você não vai vender o camarão? Vai, com certeza.

Gstv –Quem é o Paulo Persil do Paulo Persil?

Paulo Persil – O Mundo, o momento, as pessoas, o metro, o ônibus, a festa, o supermercado, eu me inspiro em pessoas, eu não tenho ídolos além de Deus. Deixa eu te explicar, tem um cabeleireiro que faleceu a pouco anos, chamado Alexandre de Paris, ele era famosíssimo na França. Ele deixou um legado e quando eu entrei na profissão ele se tornou o meu ídolo pela essência profissional.

Gstv –Você tem algum hobby ou alguma paixão esportiva? Como você se diverte fora do trabalho?

Paulo Persil – Tenho, eu me cuido muito e vou contar um pouco minha história de saúde, sou de uma geração que a primeira coisa que fazíamos quando saia da igreja era fumar, porque era moda. E eu fumei por quase 20 anos. Eu tive sucesso na minha carreira muito cedo, como eu te falei eu fazia

cerca de 15 noivas num sábado. E por causa do trabalho eu tomava muito refrigerante e fumava, porque acabava me “alimentando”. Até que um dia me vi, velho, feio, barrigudo, com bunda caída, etc. Então olhei no espelho e disse numa auto crítica, cara eu não te pegaria não, então se nem eu me queria, como alguém poderia querer? Resolvi me cuidar e a primeira coisa foi parar de fumar, tomar refrigerante, comer carne ou seja me tornei mega naturalista. Fiz de fato uma reeducação alimentar e comecei a frequentar academia. Não foi simples, mas hoje frequento academia 1:30H por dia 5 dias por semana. Já tenho esta rotina há mais de 10 anos, outra coisa que faço é tomar muita agua diariamente, aproximadamente 4 litros por dia, e também tomo todos os dias 1 taça de vinho, pois segundo os antigos europeus poderemos chegar ate 100 anos de idade tomando todo dia uma taca de vinho. (Risos).

Gstv – Você é um profissional respeitado e muito querido. Como você distingue um cliente comum de uma celebridade? Qual o valor do ser humano no teu ponto de vista?

Paulo Persil – Eu tive que aprender, na verdade eu tive que me exercitar e demorou muito, mas a gente precisa entender que na vida profissional, não na vida, porque na vida somos todos iguais, mas quando você mira na sua profissão, você tem que entender que na vida existem alguns nichos que fazem a diferença na sua carreira. Por exemplo se uma Fatima Bernardes sentar na sua cadeira, você não vai dizer que não sabe que é a Fatima Bernardes. Então, eu sempre me preparei para atender as estrelas, sempre. Não vai me dizer que uma Ana Maria Braga, que tive a oportunidade de pentear, vai sentar em sua cadeira e no primeiro momento, você não vai tremer dos beiços até as pernas, ou encontrar uma Xuxa dentro de um elevador quando assinei o criança esperança aqui em São Paulo e não querer desmaiar 3 vezes (risos). Atender artista para mim sempre foi uma honra, mas atender as noivas sempre foi uma honra maior porque elas me pagavam. Artista te da fama mas não te dá dinheiro nenhum.

Gabelezza

Gstv – Como você faz para se proteger dos problemas com a saúde que é muito comum na sua profissão? (Exemplo: L.E.R., bursites, varizes, etc.)

Paulo Persil – E Econômico né, amigo? Porque a gente esquece disse, eu já vi muitos profissionais morrerem na miséria, pessoas que ganhavam entre 15 e 20 mil reais por mês, que as vezes pediam dinheiro para comer, porque não tinham. Gente, nós vivemos num País instável, as vezes você junta um dinheiro para comprar um apartamento e vem uma crise e você perde tudo, ou um funcionário entra na justiça e “quebra financeiramente”. A primeira coisa que eu fiz, foi cuidar da minha saúde, parei de fumar, de extrapolar, etc., comecei a me movimentar, parece coisa boba, mas sempre falo em meus cursos, que tudo que você fizer não pode ultrapassar a linha de seus ombros, porque isso provoca a bursite. Então em primeiro é praticar uma autoconsciência sobre si próprio, ter cuidado com o peso, tomar muita agua, coma produtos saudáveis, movimente-se pratique algum esporte, porque ficamos muito tempo parados em frente a cadeira, no meu caso são mais de 20 anos em pé e minhas pernas estão cheias de varizes e acredito que de outros profissionais também. Mas não adianta você cuidar de sua saúde e não cuidar do bolso, meperdoem, mas o grande problema denós

cabeleireiros é que somos peões com salário de médicos. Porque hoje você vira um cabeleireiro em poucos dias e já começa ganhar entre 3 a 5 mil reais por mês, somente fazendo progressivas, e um médico depois de formado ainda fica na “residência” ganhando não mais de 2 mil reais. Então você tem que ter um plano de saúde, plano de previdência privada, porque a nossa profissão da recursos para você, mas vou te dar uma péssima notícia. “Depois que você ficar velho ninguém mais quer que você o atenda” e daí o dinheiro vai acabar. Cuidem-se.

Gstv – Deixe aqui uma mensagem para os nossos leitores e também praquelas pessoas que estão iniciando nesta profissão e também praqueles que estão decepcionados e pensando em desistir?

Paulo Persil – Olha, primeiro eu acho que poucas vezes na vida eu falei tão francamente, talvez eu não tive oportunidades, nunca me fizeram perguntas tão profundas, sempre acabam me entrevistando muito na linha cabelos e penteados, nunca vai para o lado da minha vida. Entao eu acho que falei coisas muito exclusivas aqui. E tudo que foi falado aqui é de coração, a gente vive um dos momentos mais difíceis da nossa profissão e eu costumo dizer que nós não estamos sofrendo na profissão pela crise econômica, nós estamos sofrendo por uma crise existencial, vivemos uma mudança, se você não for “Express” ou 4.0, se você não estiver plugado no Universo, você no vai conseguir o que você quer. Se eu pudesse dar um conselho seria, corra, descubra, pesquise, estude. Eu sou de uma geração que a tecnologia era muito difícil, mas eu aprendi, todo mundo pode aprender, então, não tem desculpas vá atrás dos teus sonhos, só você pode fazer isso por você. Não vá buscar frases de autoajuda não, seja você a sua autoajuda, acredite em você. EU falo nos meus cursos, eu não sou bom porque eu faço um penteado agora, eu sou bom porque fiz este penteado 40 mil vezes e agora ele é fácil para mim. Leve essa dica para tua vida. Tenha Foco. Hoje eu posso me considerar um menino pobre que se deu bem e você não é diferente de mim. O mesmo Deus que me deu o teto vai dar para você também. Lembre-se do que falei, Ele me deu o dom mas coube a mim colocá-lo em pratica.     

GSTV – Tem pautas que quando são sugeridas imediatamente nos contagiam, estou na estrada há quase 20 anos, boa parte deste período buscando e levando novidades do Universo da beleza, dos e para os mais diferenciados profissionais deste setor fascinante. Muitas vezes tive a oportunidade de encontrar Paulo Persil, geralmente em palcos nas grandes feiras pelo Brasil ou em premiações nas quais ele sempre aparece como um dos protagonistas. Quando conversamos que sua assessoria e conseguimos agendar nossa entrevista, foi um misto de alegria e apreensão, porque em nossa visão, esta matéria não poderia ser menos que excelente. E com certeza, nosso bate papo foi um dos mais fascinantes que fizemos. Afinal, foram tantas informações importantes, passadas por Paulo Persil, carregadas de generosidade, humildade, respeito e logico muito conhecimento, obrigando o nosso pessoal de edição a dividir o material em 5 (episódios) acessem http://www.gstv.com.br/blitz-guia-de-saloes/ .

Blitz Guia de Salões Celebridades

Entrevistar Paulo Persil, foi viajar de verdade ao Universo do Saber

Compartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *